Mi música, su música


written by Marco Sassen on February 29, 2016

Bom dia, boa tarde, boa noite! Olá pessoal, Guile Suarez passando por aqui para jogar conversa fora ao som das grandes bandas! Grandes bandas latinas!

 

Por falar em grandes bandas latinas, recentemente durante o carnaval, eu estive no sensacional Curitiba Rock Carnival, onde, entre outras bandas fantásticas, encontrei esse patrimônio da Surf Music sul-americana: Los Freneticos! Formados na cidade de Córdoba, Argentina, lá pelos idos de 2008, e com dois álbuns na bagagem, fizeram um show divulgando seu ultimo lançamento El Sonido Que Perdura, de 2015. Showzaço!

 

LOS FRENETICOS – “FRENETIQUEANDO”

 

Outra instituição musical argentina, é o já extinto Soda Stereo. A banda esteve na ativa de 1982 a 1997, cravando vários sucessos não só na Argentina, mas… da fronteira Mexico/EUA até a Patagônia só dava o Soda! Até mesmo aqui no Brasil, o Soda Stereo teve seu reconhecimento. Você provavelmente já escutou “A Sua Maneira” com o Capital Inicial, ou a versão mais perto da original que os Paralamas do Sucesso fizeram para ” De Música Ligera“, originalmente lançada pelo Soda. O soda chegou a se reunir em 2007 para uma turnê que passou por várias cidades e foi vista por mais de um milhão de pessoas. Infelizmente, em Setembro de 2014, Gustavo Cerati, vocalista, principal compositor e letrista do Soda faleceu, depois de muitos anos em coma, em decorrência de um AVC.

 

SODA STEREO – “PERSIANA AMERICANA”

 

Falando agora de uma das mais celebradas das bandas colombianas: Aterciopelados! Formado em Bogotá em 1990 , mas só em 1992 assumiu o nome Atercipelados, tem como destaque a mistura de gêneros tradicionais/folclóricos com Rock (taxado várias vezes de rock alternativo), com a bela voz de Andrea Echeverri nos microfones. Andrea, que inclusive, já gravou com o Pato Fu na faixa “Tudo Vai Ficar Bem” em 2007. Em 1995 lançaram o álbum El Dorado, considerado um dos 20 melhores registros de Rock Latino de todos os tempos.

 

ATERCIOPELADOS – “BOLERO FALAZ”

 

Referência latina no caldeirão efervescente que havia se formado com a soma de Rap, Funk, Rapcore e New Metal desde 1995, da Cidade do México surgiu o Molotov. Com forte carga desde estilos, e das letras politizadas (abordando desde política nacional até a migração de mexicanos para os EUA), mesclando espanhol e inglês nas letras, e performances memoráveis ao vivo, levaram a comparações com o Rage Agaisnt The Machine por muitas vezes em sua carreira. Usando todos os membros como vocalistas, alternadamente, e muitas vezes tocando com dois baixos, esse quarteto marca bem sua presença (com peso) por onde passa; inclusive por terras verde-amarelas, como foi o caso da ótima apresentação no Lollapalooza de 2015. Vendedores de mais de 4 milhões de cópias mundo todo, vale muito a pena aumentar o som e conferir os caras.

 

MOLOTOV – “GIMME THA POWER”

 

E para finalizar, Calle 13! Um sensacional grupo de Rap, Hip Hop e mais uma mistura de ritmos, dependendo da necessidade das canções. Natural de Trujillo Alto, Porto Rico, e formado por Residente (René Pérez Joglar) , Visitante (Eduardo Cabra Martínez ) e PG-13 (Ileana Cabra Joglar). Com letras que abordam questões socioculturais, não só de Porto Rico ( apesar do envolvimento de Residente e Visitante no apoio independência de Porto Rico) mas de toda América Latina. Calle 13 agrega fãs espalhados por todo o continente americano, além de várias indicações ao Grammy Latino a outros prêmios. Um ponto interessante, foi a participação da brasileira Maria Rita, juntamente com a peruana Susana Baca e a colombiana Totó la Momposina, na faixa “Latinoamérica” em 2011.

 

CALLE 13 – “LATINOAMÉRICA”

 

Aquele abraço!

 

Guile Suarez

 

Colunista no Site Rock Music I Cervejeiro de plantão


Leave a comment

  • Marco Sassen

    Muy bueno !

  • Alexandre "Sem Nome"

    Arriba el rock n’roll!!