Música e ecologia


written by Marco Sassen on January 12, 2016

Bom dia, boa tarde, boa noite! Olá pessoal, Guile Suarez passando por aqui para jogar conversa fora ao som das grandes bandas! Por falar em grandes bandas, recentemente o Pearl Jam em passagem por terras Tupiniquins surpreendeu algumas pessoas, quando a banda resolveu doar o cachê do show em Belo Horizonte, para as vítimas do desastre ecológico provocado em Mariana (MG) em meados do ano passado. Em 2006, esses cara legais reverteram uma parte do lucro arrecadado com as turnês daquele ano, para ações de preservação de florestas tropicais em Madagascar. Genuinamente engajado desde sempre em causas ambientais, esta foi mais uma bola dentro dessa rapaziada de Seattle.

 

PEARL JAM – ” Whale Song”

 

Outra banda que sempre mandou bem neste campo é a australiana Midnight Oil. The Oils, como também são conhecidos, já fizeram várias letras abordando questões de preservação da vida selvagem e também sobre a causa aborígene. Um ponto alto do envolvimento destes caras, foi quando fizeram uma apresentação em cima de um caminhão em frente a sede da Exxon em Nova York. Em um protesto contra a gigante do ramo de combustíveis, frente ao descaso da empresa com diversos vazamentos em regiões árticas na época, sem que ninguém tomasse atitude alguma (soa familiar?!).

 

MIDNIGHT OIL – “Blue Sky Mine”

 

Outro caso curioso, é o do R.E.M. E singularmente na música “Fall on Me“, segundo o vocalista Michael Stipe, a música foi originalmente escrita tendo como fundo o contexto da chuva ácida, suas causas e implicações.” Muita gente ainda acredita que ‘Fall on Me’ é sobre a chuva ácida. Inicialmente, era. Então a reescrevi. Se você ouvir o segundo verso, vai perceber que há uma contra-melodia por baixo. Essa é a melodia original da música; essa era a parte sobre a chuva ácida. Na verdade, a ‘Fall on Me’ que todos conhecemos e amamos não é sobre isso. É sobre a opressão em geral, sobre o fato de que há um monte de motivos por aí que precisam de uma canção que diga: Não nos esmague.” Conta Stipe a Revista Rolling Stone.

 

R.E.M. – ” Fall On Me”

 

A Dave Matthews Band também andou equilibrando as coisas quando passou a compensar a poluição produzida durante sua carreira, ajudando ONGs e instituições que promovem sustentabilidade. A iniciativa refletiu na construção da Rosebud Wind Turbine, a primeira turbina de vento de grande escala dos EUA.

 

DAVE MATTHEWS BAND – “Don’t Drink The Water”

 

E para não dizer que nós também não temos nossos bons exemplos, vamos falar aqui de um clássico nacional: “Sobradinho”. Canção de Sá & Guarabyra que narra de forma clara e contundente os efeitos da construção da usina hidrelétrica de Sobradinho na Bahia. A música mostra que a ação do homem na natureza pode provocar severas alterações no meio ambiente, muitas vezes sem retorno no espaço geográfico impactado.

 

SÁ, RODRIX & GUARABYRA – “Sobradinho”

Há vários outros exemplos de artistas legais que se importam com algo mais além de fama e dinheiro. Mas isso é assunto para outra vez, regada a cerveja gelada nas mesas do Jângal.

 

Guile Suarez

Colunista no Site Rock Music I Cervejeiro de plantão.


Leave a comment

  • Alexandre "Sem Nome" Amorim

    Muito bom, Guila!! Bacana ver você compartilhando informações aqui no Jângal, man.

    Abraço grande e sucesso!

  • Nandinha

    Muito bom!!!!

  • olavo

    Mas bah o cervejeiro como sempre postando informações de qualidade!!